Taquari, 19 de Agosto de 2018
NOTÍCIAS
06/04/2018
Câmara aprova crédito de R$ 1,7 milhão para conclusão de centro administrativo

Na segunda-feira, dia 2, ocorreu a primeira sessão ordinária do mês de abril. Foi realizada na localidade de Amoras e acompanhada por cerca de trinta moradores.
Durante a sessão, os vereadores aprovaram, por unanimidade, um projeto de lei que autoriza a abertura de crédito especial de R$ 1,708.301,22. Nenhum dos vereadores se manifestou sobre o projeto.
Conforme o documento, o referido crédito vai alocar o recurso do Programa de Modernização da Administração Tributária e da Gestão dos Setores Sociais Básicos (PMAT), e vai servir como elemento de despesa correto para conclusão do centro administrativo.
 
Legislativo fala sobre futuro do Posto da PRE em Amoras
 
Uma vez que a sessão foi realizada em Amoras, a situação do posto da Polícia Rodoviária Estadual, que fica na localidade, foi um dos principais assuntos discutidos pelos vereadores.
O progressista Clóvis Bavaresco apresentou um requerimento solicitando  informações ao Executivo para saber se houve alguma benfeitoria custeada pela administração no prédio do Posto da Polícia Rodoviária Estadual de Amoras, bem como se há previsão do custeio com luz, telefone e internet no posto.
Em seu discurso na tribuna, Clóvis disse que visitou o lugar juntamente com a Pastora Mara e Tio Nei (PSDB) e percebeu que a estrutura do prédio precisa de reparos. “Tem alguns detalhes que não são muitos caros e que eu tenho certeza que o município tem condições de resolver. Ainda tem o telefone e a luz, melhorias na estrutura, porque o piso está danificado, e a pintura. Se não for pelo Executivo, pelo apoio da população”, comentou.
Ele também aplaudiu os moradores da localidade por estarem ajudando os policiais pagando a conta da água. 
O vereador Ramon também se manifestou sobre o assunto e trouxe boas notícias para a polícia. “A Taquari.com nos anunciou a doação e a isenção de internet para a Polícia Rodoviária Estadual. A gente agradece e fica muito feliz em nome da comunidade”, afirmou. Para ele, o posto de polícia não corre o risco de sair de Amoras. “Estamos em um ano eleitoral onde as decisões de governo de Estado já acabaram. Vai caber a vocês definir como vai ser o ano que vem. Toda a dificuldade que a gente teve no município na segurança pública vai ser definida por vocês”, disse.
 
Requerimento sobre pavilhão Arthur da Costa e Silva gera discussão na tribuna
 
Durante a sessão, os vereadores aprovaram um requerimento, de autoria da Pastora Mara (PSDB). A tucana questionou o Executivo para saber se há previsão de realização de benfeitorias no pavilhão Arthur da Costa e Silva, tais como: reparos no telhado, reformas nos banheiros, alojamento e reposição dos vidros quebrados.
Entretanto, a solicitação da pastora não agradou o vereador Ramon Kern (PT), que criticou o requerimento. Segundo ele, o Município precisa dar prioridade à obra da Zanc. ”Diminuímos serviços e temos que diminuir reformas e obras. A gente sabe que o pavilhão tá em uma situação ruim. Mas neste momento, a prioridade é trazer emprego para Taquari. Então não tem como fazer tudo”, comentou.
O vereador Clóvis Bavaresco (PP) foi até a tribuna falar sobre o pedido da colega, que não esteve presente na sessão pois participava do velório da pastora Hilda. “Não é que tem que parar a obra da Zanc. Mas é algo barato de reformar. Depois fica muito mais caro. E também tem a insatisfação dos bombeiros. Não adianta a gente ficar pleiteando pela permanência dos bombeiros e por mais efetivo se a gente não dá o mínimo de condições. Tá quase chovendo dentro do alojamento deles”, comentou.
Em seguida, o vereador Leandro Mariante (PT) disse na tribuna que entrou em contato com a empresa JMatias. Segundo ele, ela se disponibilizou a fazer a recuperação do espaço sem custos para o Município.
 
Comunidade se manifesta
 
O presidente do Legislativo, Zé Harry (PDT), reforçou que o objetivo de realizar a sessão fora da Câmara era aproximar a comunidade dos vereadores e dar uma espaço para que a população pudesse se manifestar. Das mais de vinte pessoas presentes, apenas duas foram até a tribuna.
 
“Só a mobilização que faz a diferença numa comunidade”
 
A professora Cláudia Palagi foi a primeira a falar. No ano passado, Cláudia mobilizou os moradores de Amoras após a notícia de que o posto da PRE poderia ser transferido para Venâncio Aires, e realizando, inclusive, uma reunião com representantes políticos e a comunidade no salão onde acontecia a sessão.
Na tribuna, ela relembrou que o Secretário de Segurança Pública, Cezar Schirmer, e o Governador José Ivo Sartori garantiram que o posto permaneceria na localidade. Mas, apesar disso, ainda não há nenhum documento oficializando a permanência da PRE em Amoras. “Essa informação não é oficializada. Não temos oficializado no papel. O que temos é a palavra do Secretário de Segurança Pública. Então, a oficialização não existe. E as autoridades de Venâncio Aires estão cada vez mais empenhadas em levar o posto para a cidade”, afirmou. 
Além disso, Cláudia disse que o posto de polícia precisa de cuidados, pois está em situação precária, e que é preciso se pedir mais efetivo para a PRE.
Por fim, ela deixou um recado aos moradores. “Só a mobilização que faz a diferença numa comunidade. Quer patrola? Quer maquinário? Venha na reunião, exigir e pedir. Ninguém vai vir na sua casa dizer que tem uma patrola para fazer estrada ou um bueiro”, concluiu.
 
“A gente não tem para quem reclamar”
 
O presidente do Conselho Municipal de Desenvolvimento Agrário (COMDAGRO), Hélio Idzi, foi a segunda pessoa a se manifestar. O agricultor aproveitou o espaço para fazer críticas ao Executivo. “Estamos sendo muito maltratados pela administração municipal na questão de máquinas e atendimentos, há pedidos de silagem atrasados. Tenho um de julho de 2017 que não foi feito o serviço”, afirmou. “A gente não tem para quem reclamar.” Segundo ele, a falta de resposta da Prefeitura motivou os agricultores a tomarem atitudes drásticas. 
“Depois de tantos ofícios enviados ao senhor Prefeito, solicitando ajuda, ele nunca atendeu. Infelizmente, a gente tomou uma atitude e entramos no Ministério Público e vamos encaminhar toda essa documentação para a justiça”, afirmou. Na última reunião do Comdagro, Hélio sugeriu ser realizada uma comissão para ir ao Ministério Público buscar uma solução para a situação, depois dos integrantes do Conselho se queixarem pelo fato de não terem sido respondidos os ofícios enviados à Prefeitura no ano passado.
 

VÍDEO

No dia 16 de maio, um bugio que estava no Bairro Praia teve um choque ao deitar-se sobre os fios de energia elétrica. Ele caiu dos cabos da rede e foi socorrido por pessoas que estavam nas proximidades, entre elas, o agricultor Seloí Lang, conhecido por Nego do Rincão, que fez massagem e assoprou sua boca.

mais vídeos

 
CLIMA
 
EDIÇÕES
Contato
(51) 3653.3795
(51) 3653.4719
(51) 9861.6358

Copyright © Jornal O Fato Novo 2013. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por