Taquari, 17 de Outubro de 2018
NOTÍCIAS
06/04/2018
Crucificação de Jesus volta a ser encenada nas ruas de Taquari

Um grupo de 50 voluntários ligados à Igreja Católica levou para as ruas de Taquari, na noite da Sexta-Feira Santa, 30 de março, a encenação da Via Sacra de Jesus Cristo. 
A representação dos momentos finais de Jesus Cristo ocorreu da mesma forma como nas décadas passadas, iniciada em 1970.
As 14 estações da Via Sacra começaram na Igreja Santo Antônio, com a última Ceia, quando foi instituída a Eucaristia e manifestada a traição de Judas. Ali também foi mostrado o refúgio de Jesus no Monte das Oliveiras. 
A  encenação seguiu pela avenida Lautert Filho, com a passagem pelo julgamento do sacerdote  Caifás e do governador Pôncio Pilatos. Nas proximidades da rótula com a rua 7 de Setembro, Jesus Cristo recebeu a coroa de espinhos e a cruz de madeira, que carregou até a morte.
O cortejo dos atores voluntários, acompanhado pela comunidade católica, seguiu pela rua Osvaldo Aranha, até a Lagoa Armênia. Momentos como o encontro com Maria - Mãe de Jesus, com Verônica, com as mulheres de Jerusalém, o auxílio de Simão Cirineu e as três quedas foram encenados. No palco da Lagoa Armênia, foi representada a crucificação. 
Após, iniciou a procissão pela rua 7 de Setembro, entre o Theatro São João e a Igreja Matriz, com a imagem de Jesus Cristo morto. A novidade deste ano, em relação aos anteriores, foi o momento final. A última cena da Via Sacra foi realizada na Igreja Matriz com a imagem de Cristo vivo. O papel de Jesus foi interpretado por Ênio Renato da Silva, o mesmo que fazia há 40 anos. “Pra mim é um motivo de maior orgulho na minha vida, representar o rei dos reis, o maior exemplo de vida, de bondade e simplicidade neste mundo. É a maior riqueza que pude ganhar e repetir, 40 anos depois da primeira apresentação, com saúde, disposição, tranquilo, fazendo toda esta jornada, de pés descalços, com a cruz pesada, machucando o ombro. Só ele que dá esta força!”
Para Ênio, o momento também é de reflexão. “Nesta hora a gente elimina todos os orgulhos ruins, por aquilo que ele ensinou e falou. As coisas mais simples do mundo, que são tão fáceis de fazer e a gente acha tão difícil na mesma hora. De cada passo você tira um proveito muito grande, se for um pouquinho inteligente e observar os detalhes pequenos que são muito grandes. Nada paga isto”. A encenação também foi acompanhada pela comerciária Cristina Garcia, 46 anos, juntamente do filho Lucas, 7 anos. “Achei emocionante. É a primeira vez na minha vida que assisto à encenação. Este sofrimento, a gente valoriza mais o que passou Jesus. Assitindo parece que vivenciamos”, disse. 
Um dos organizadores, Augusto Becker, diz que acompanha a apresentação e participou da primeira, em 1978, junto dos amigos Gilberto Peres, que estava na organização neste ano, e de Renato Silva. “Muitas pessoas cobravam que fosse feita e, como completou 40 anos, decidimos fazer”, contou Augusto. Ele diz ainda que no próximo ano o evento voltará a ser realizado.  

VÍDEO

No dia 16 de maio, um bugio que estava no Bairro Praia teve um choque ao deitar-se sobre os fios de energia elétrica. Ele caiu dos cabos da rede e foi socorrido por pessoas que estavam nas proximidades, entre elas, o agricultor Seloí Lang, conhecido por Nego do Rincão, que fez massagem e assoprou sua boca.

mais vídeos

 
CLIMA
 
EDIÇÕES
Contato
(51) 3653.3795
(51) 3653.4719
(51) 9861.6358

Copyright © Jornal O Fato Novo 2013. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por