Taquari, 20 de Setembro de 2018
NOTÍCIAS
00/00/0000
Prefeito diz que cotrato com Isev pode ser rescindido

Além disso, o Instituto de Saúde e Educação Vida, que administra a casa de saúde, já apresentou à comunidade uma dívida de mais de R$ 3,5 milhões, durante audiência pública em fevereiro de 2017. Desde então, não foram mais apresentados balancetes à comunidade.
A crise na intituição preocupa não só a população, mas também a Administração Municipal, que busca medidas para retomar os atendimentos e o potencial da casa de saúde. Confira, na íntegra, a entrevista com o Prefeito Maneco sobre o hospital.
 
 
Mistura Fina - A obra de reforma e ampliação do setor de urgência e emergência, que estava parada desde 2016, foi retomada? Qual a previsão de entrega?
 
Prefeito Maneco - Sim, a obra foi retornada no início do mês de abril, dando continuidade ao contrato vigente. A previsão de entrega é no mês de agosto. A fase atual é de ampliação da emergência, com a construção de novo espaço para acolhimento e atendimento.
 
 
Mistura Fina - Como a Prefeitura avalia a gestão feita pelo Isev?
 
Maneco - No último período, a gestão do ISEV tem ficado abaixo das expectativas do município, especialmente no que se refere aos serviços de obstetrícia, pediatria, cirurgias e especialidades. Há, evidentemente, uma queda de repasses pelos Governos do Estado e Governo Federal que contribuiu para estas dificuldades, mas, em que pese as inúmeras reuniões, notificações e conversas, a instituição não adotou nenhuma medida efetiva para qualificar o serviço prestado e ampliar suas receitas.  
 
 
Mistura Fina - A instituição tem prestado contas da situação financeira e dos atendimentos da casa de saúde?
 
Maneco - Referente à prestação de contas da parte financeira, em que pese as notificações apresentadas, o ISEV não forneceu ao município os documentos contábeis e financeiros para análise, conforme solicitado.
 
 
Mistura Fina - Qual a dívida e o déficit mensal do hospital atualmente?
 
Maneco - Como a instituição não fornece os dados financeiros, alegando possuir uma contabilidade única na central em face dos demais hospitais que administra, é impossível averiguar se há déficit, atualmente.
 
 
Mistura Fina - A prestação de serviços está sendo cumprida, conforme estabelecido no contrato?
 
Maneco - Não. O resultado dos levantamentos realizados pela Prefeitura tem mostrado que a instituição hospitalar não tem oferecido todos os serviços contratados pelo município nos últimos meses. Inúmeras notificações e cobranças já foram realizadas pela Administração Municipal para a solução destes problemas. Vale ressaltar que a equipe técnica disponível no ISEV é de excelência e reconhecida por todos os profissionais médicos que por ali já passaram. Evidentemente que a política de centralização regional promovida pelo Governo do Estado tem colaborado para retirar serviços do hospital local e dificultar a operacionalidade dos pequenos hospitais. Mas ao não realizar os serviços que são contratados, a instituição não cumpre na integralidade a sua função, deixando a desejar e desamparando a população. 
 
 
Mistura Fina - Como está o serviço de endoscopia? Recebemos reclamação de um paciente da secretaria municipal de Saúde que aguarda o exame desde janeiro...
 
Maneco - O ISEV não vem cumprindo com essa obrigação. Dentro dos levantamentos feitos pela Administração no mês de março, das 20 endoscopias contratadas, apenas duas foram realizadas. O município segue em constante averiguação e cobrando da instituição para que cumpra seus compromissos contratuais.
 
 
Mistura Fina - A Prefeitura tem interesse em renovar o contrato com o Isev, que vence em outubro de 2019? Ele pode ser rescindido? Em que circunstâncias?
 
Maneco - Se os serviços contratados continuarem a ser descumpridos, o contrato será rescindido. Não interessa ao município descontar os valores dos serviços não prestados, o que estamos fazendo mensalmente. O serviço precisa ser prestado para a população. 
 
Mistura Fina - No caso do contrato não ser renovado, de que forma se dará a continuidade do atendimento no hospital? Há possibilidade de outra entidade realizar a gestão? Há tratativas em relação a isso?
 
Maneco - Se o contrato não for renovado ou for rescindido, o município vai buscar uma nova instituição que possa administrar o hospital local nos moldes desejados para que os serviços essenciais sejam prestados.
 

VÍDEO

No dia 16 de maio, um bugio que estava no Bairro Praia teve um choque ao deitar-se sobre os fios de energia elétrica. Ele caiu dos cabos da rede e foi socorrido por pessoas que estavam nas proximidades, entre elas, o agricultor Seloí Lang, conhecido por Nego do Rincão, que fez massagem e assoprou sua boca.

mais vídeos

 
CLIMA
 
EDIÇÕES
Contato
(51) 3653.3795
(51) 3653.4719
(51) 9861.6358

Copyright © Jornal O Fato Novo 2013. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por