Taquari, 18 de Outubro de 2018
NOTÍCIAS
05/01/2018
FAZENDA VILANOVA: Marcos Adriano diz que continuará obra do prédio da Câmara

Marcos Adriano Lerner (PDT), vereador de quarto mandato, foi eleito presidente do Legislativo em dezembro passado, confirmando o acordo estabelecido entre PDT, PMDB e PP de manterem-se na presidência, entre 2017 e 2019. Para último ano ainda não está estabelecido que ficará com o cargo. 
Nesta semana, O Fato Novo entrevistou o novo presidente, que assume a função pela segunda vez. A primeira foi em 2012, quando comandou o trabalho por cerca de seis meses. Na entrevista, ele estava acompanhado do presidente do partido, Amarildo da Silva, que assumirá a função de assessor jurídico da Câmara de Vereadores e falou sobre sua meta, gasto com diárias e o sumiço de uma concha de retroescavadeira, que ocorreu quando era secretário de Obras, em 2015. 
 
ENTREVISTA
 
OFN - Quais são seus objetivos como presidente do Legislativo?
Marcos Adriano - “Vamos tentar fazer o melhor para o Município. A nossa meta é essa. Não podemos atrapalhar o prefeito, nem só o presidente se vangloriar de fazer alguma coisa. Queremos trabalhar com parceria”.
 
OFN - Ser presidente da Câmara era um sonho seu?
Marcos Adriano - “Sou vereador no quarto mandato, nunca almejei ser presidente. Claro que é o poder maior da Câmara, só que isto não vai mudar nada no meu jeito de pensar e agir. Sempre vou ser a mesma pessoa. Não foi uma negociação muito simples, mas para mim foi uma surpresa. O Amarildo, como presidente do PDT, tomou esta atitude, conversando com os demais vereadores e entrando num acordo para o bem. Achamos que este é o melhor passo que poderíamos ter tomado. Pra nós é motivo de orgulho, uma vitória que tivemos, sabendo que somos oposição ao prefeito, mas acho que temos que olhar para o bem do município”.
Amarildo - “A principal ideia foi o dividir para o bem, para construir. Tanto a eleição do ano passado, a deste ano e a próxima eleição foi um conjunto de pessoas que se reuniu, dividiu o poder para somar, que foi a meta desde o ano passado. A princípio o próximo presidente, dentro do que vem se mantendo dentro do acordo que foi feito, é o Codécio”.   
 
OFN - Como será a relação do Legislativo com o Executivo?
Marcos Adriano - “A nossa intenção é ter uma relação aberta com o prefeito. A nossa forma de trabalhar será esta, em equipe. A nossa intenção é fazer a coisa certa para o município”.
 
OFN - Você vai dar continuidade à obra de construção do prédio próprio da Câmara, iniciada no ano passado?
Marcos Adriano - “Estamos vendo o encaminhamento do processo de licitação, que deverá ser aberto a partir de março. A intenção é gastar R$ 100 mil e realizar a etapa do prédio administrativo, que é a segunda etapa. Já conversamos com o prefeito e pedimos que a comissão de licitação da prefeitura realize o processo para nós, para economizar”.  
 
OFN - Como será o gasto com diárias durante a sua gestão, vai restringir ou liberar para viagens e cursos?
Marcos Adriano - “Num primeiro momento não vamos trancar nada, não estamos aqui para trancar ninguém. Agora, tudo dentro do seu normal. Se tiver uma diária que seja de interesse do município, como na área da segurança, com certeza. Agora vamos evitar um pouco o gasto desnecessário com cursos repetitivos, que era o que mais a gente estava vendo ultimamente, muito gasto com cursos que não têm muito fundamento. Queremos realmente fazer o necessário. Não temos hoje uma disponibilidade muito grande de valor. A nossa meta é fazer a segunda fase da Câmara e os vereadores estão cientes do que queremos fazer, não é que eu vou trancar”.   
Amarildo – “Nós temos as representações dos Ministérios e dos deputados em Porto Alegre. No caso de emenda parlamentar, não tem a necessidade de ir a Brasília. Se no ano que vem for a Brasília, provavelmente vai o presidente ou alguém indicado por ele, e leva as solicitações de todos. Acho que é probidade com os recursos públicos ter o máximo de cuidado com os gastos, porque nós temos esta obra que é uma meta”.
 
OFN - Sobre os cargos e salários aqui na Câmara, vão aumentar?
Marcos Adriano - “Vão ficar dois assessores legislativos e um jurídico, vai se manter a mesma estrutura do ano anterior. A gente não entrou aqui para tirar ninguém que trabalhava na Câmara. Contratamos e deixamos bem claro que entraram em 1º de janeiro e saem em 31 de dezembro”. 
 
OFN - O senhor tinha uma investigação sobre desfiliação partidária. Como está este processo? 
Marcos Adriano -  “Foi arquivado”.
Amarildo - “Ele perdeu o objeto porque agora é nova legislatura. A perda do mandato era pra fins da legislatura passada”.
 
OFN - No tempo em que o senhor foi secretário de Obras, em 2015, teve um fato que repercutiu negativamente, que foi o sumiço da concha de uma máquina retroescavadeira do pátio da secretaria. Como administrador, o senhor tirou alguma lição daquela situação?
Marcos Adriano - “O primeiro passo que tomei quando foi constatado o sumiço fui até a delegacia registrar ocorrência. E até hoje nunca descobriu-se nada. A gente não sabe o que dizer, onde foi parar. É complicado falar, a gente sempre cuidou muito do patrimônio que não é nosso, é o povo. É bastante desagradável esta situação. Jamais gostaria que tivesse acontecido. Ao máximo vamos evitar e reforçar o cuidado, apesar de que tínhamos câmeras de vigilância e não apareceu, como aconteceu agora, com o sumiço das roçadeiras”. 
Amarildo - “É um caso de polícia, foram tomadas as providências administrativas dentro do município e o registro junto à delegacia. Ladrão é caso de polícia. Tanto que ocorreram outros casos agora e também, com certeza, ele (o prefeito) encaminhou o registro, porque não tem o que tu faças”.  
 
 

VÍDEO

No dia 16 de maio, um bugio que estava no Bairro Praia teve um choque ao deitar-se sobre os fios de energia elétrica. Ele caiu dos cabos da rede e foi socorrido por pessoas que estavam nas proximidades, entre elas, o agricultor Seloí Lang, conhecido por Nego do Rincão, que fez massagem e assoprou sua boca.

mais vídeos

 
CLIMA
 
EDIÇÕES
Contato
(51) 3653.3795
(51) 3653.4719
(51) 9861.6358

Copyright © Jornal O Fato Novo 2013. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por