Taquari, 12 de Dezembro de 2017
NOTÍCIAS
01/12/2017
Estudantes do Pereira Coruja apresentam trabalhos em Feira do Conhecimento

Cerca de trezentos alunos do ensino médio e dos cursos técnicos do Instituto Estadual de Educação (I.E.E.) Pereira Coruja participaram da 7ª Feira do Conhecimento e XV Frepotec. A feira, realizada no ginásio de esportes da instituição, iniciou na noite de quarta-feira (29) e encerrou ontem, quinta-feira (30).
Ao todo, foram apresentados 97 trabalhos dos mais variados temas. Os alunos do ensino médio puderam escolher qualquer tema que os interessava. Desta forma, alguns decidiram abordar assuntos como a inclusão social, transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), computação gráfica, economia brasileira, equoterapia entre outros.
“Como a temática mais livre, a gente consegue explorar as áreas de interesse e tornar o projeto mais prazeroso”, explica Luciene da Silva Pereira, coordenadora pedagógica da instituição. 
Houve também quem optou por abordar assuntos mais polêmicos. “Este ano temos algumas questões polêmicas que foram abordadas pelos alunos, como aborto e abuso sexual, que são temas difíceis de serem tratados mas que estão trazendo porque entendem como importante.”
Pensando em uma forma de tornar as disciplinas de biologia, física e química mais atrativas, um grupo do 2º ano apresentou um trabalho sobre a ciência forense, que faz uso dessas áreas para investigar e resolver crimes. No estande do grupo, havia um microscópio com sangue, para os visitantes analisarem, e um manequim simulando uma cena de crime, para chamar a atenção.
“A gente quer mostrar para a escola uma forma mais eficaz e produtiva de aprender as três matérias juntas para que o aluno possa se interessar mais. Por só ver fórmulas em quadro, muitos alunos acabam odiando as matérias. Mas não é bem assim, a gente quer mostrar que química, física e biologia podem ser aprendidas de maneira mais empolgante”, afirma Eduarda Nicole Duarte, integrante do grupo.
 
Ações sustentáveis
 
Já os alunos dos cursos técnicos de química, meio ambiente e administração, realizaram trabalhos com temas das suas áreas de aprendizagem. E muitos deles, apresentaram ideias inovadoras.  “Um dos projeto inovadores trabalha a liofilização do mel. É transformar o mel em pó sem que ele perca as propriedades. Porque o mel tem um manuseio difícil, ele é muito viscoso e tudo mais, e a questão do volume”, explica Luciene da Silva Pereira. Para realizar o experimento, a escola fez uma parceria com a Univates.
Pensando em elaborar uma técnica diferente e eficiente para o tratamento de efluentes, sobretudo de esgoto, um grupo de alunos do técnico em meio ambiente elaboraram um projeto sobre eletroflotação.
“Eletroflotação é um processo eletrolítico, que gera uma carga que separa a matéria orgânica e a aquosa. Depois de separada, a matéria aquosa pode ser filtrada e se torna água tratada, que podemos utilizar para regar plantas ou lavagem de carro. Já a matéria orgânica que sobra pode ser utilizada como adubo”, explica o aluno Maicon Costa.
Outro grupo apresentou um trabalho que teve como objetivo desenvolver um biodigestor, equipamento usado para o processamento de matéria orgânica, a partir de dejetos de animais para geração de gás metano. “A gente foi atrás de algo que pudesse beneficiar o meio ambiente e que fosse bom para o nosso bolso”, explica o aluno Cristian Scheffer de Freitas. Os alunos tiveram auxílio da Emater para desenvolver o equipamento. 
 
Aposta no empreendedorismo 
 
Com o objetivo de preparar os alunos para o mercado de trabalho, a escola elaborou um projeto onde as turmas do terceiro ano criaram empresas para desenvolver atividades práticas que focam no empreendedorismo e na ação social. “Eles estão indo para o mercado de trabalho. Então é importante eles aprenderem a empreender”, destaca a diretora da instituição, Lisa Calçada Martins.
Uma das empresas era a Eco Design, que oferecia móveis recicláveis, e a Cerveja do Bolo, que criou decorações de festas utilizando materiais recicláveis. Cada grupo também precisou fazer uma ação social. O pessoal da Eco Design faz ações na Comunidade Pella Bethânia, enquanto a Cerveja do Bolo fez uma festa para uma creche municipal.
 

VÍDEO

No dia 16 de maio, um bugio que estava no Bairro Praia teve um choque ao deitar-se sobre os fios de energia elétrica. Ele caiu dos cabos da rede e foi socorrido por pessoas que estavam nas proximidades, entre elas, o agricultor Seloí Lang, conhecido por Nego do Rincão, que fez massagem e assoprou sua boca.

mais vídeos

 
CLIMA
 
EDIÇÕES
Contato
(51) 3653.3795
(51) 3653.4719
(51) 9861.6358

Copyright © Jornal O Fato Novo 2013. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por