Taquari, 18 de Novembro de 2017
NOTÍCIAS
13/10/2017
Luteranos celebram 500 anos da reforma da Igreja Cristã

Os membros da Igreja Evangélica Luterana estão celebrando, neste ano, os 500 anos da Reforma de Martim Lutero, que deu origem à congregação, também conhecida por Igreja Protestante. Em 1517, o monge Martim Lutero (ou Martinho Lutero, em português) questionou algumas orientações da igreja cristã da época, foi excomungado e fundou a Igreja Evangélica de Confissão Luterana.
O movimento de Martim Lutero aconteceu na Alemanha, no século XVI, e teve grande consequência. O monge rebelou-se insatisfeito em relação às orientações e ideias que a igreja da época pregava, principalmente na questão das riquezas e dos bens que a igreja acumulava e quanto à atuação do Papa, que era a maior autoridade, inclusive política. “Ele não queria uma nova igreja, queria uma igreja reformada. Como a igreja não aceitou as ideias de Lutero, ele foi ameaçado e excomungado”, explica o pastor da Igreja Luterana deTaquari, Danilo Doss. Lutero defendia ainda o acesso das pessoas à Bíblia, e,  por isso,  a traduziu do latim para o alemão.  
Uma parte do povo seguiu as instruções do monge e, embora, posteriormente, a igreja católica tenha feito a contrarreforma repensando a sua postura, a igreja Luterana já estava sacramentada. O movimento chegou ao Brasil em 1840, com os costumes dos imigrantes alemães, que também entendiam que todas as crianças precisam saber ler e escrever, o que ainda não havia no Brasil. Por isso, ao lado de cada igreja, havia uma escola e vice-versa. “Muitas vezes, as igrejas eram usadas de escolas ou as escolas de igrejas. As famílias sentiam-se responsáveis pela formação religiosa e geral dos seus filhos. Lutero acreditava ainda que a escola não deve ser só para os filhos dos luteranos, deve ser responsabilidade do Estado, para dar acesso a todos”, destaca. Os luteranos prezavam também o cuidado com as pessoas desamparadas e com os restos mortais de familiares. “Para nossa igreja, é um espaço muito significativo, em respeito à memória dos mortos, de alguém que foi importante na nossa vida”, explica o pastor. 
Em Taquari, há 154 anos chegaram os alemães na terra colonizada por açorianos, de religião católica. Naquela época, ser alemão era sinônimo de ser luterano. “Imagine estes luteranos vindo pra cá, nem no cemitério eles podiam se juntar. Tudo era dividido. Quando morreu a primeira pessoa dessas famílias, eles não tinham onde sepultar e, como tinham uma cultura de cuidar de quem partiu, foram  à autoridade local e pediram um terreno para sepultar seus mortos, onde  hoje é o Cemitério Luterano em Taquari. Então começou a igreja em Taquari”. Atualmente, embora seja uma cidade de origem predominantemente católica, há a Sociedade Evangélica Pella Bethânia, fundada há 125 anos, e o Centro de Ensino Médio Pastor Dohms, que existe há 86 anos, mas em Taquari há 8 anos. “A Igreja Luterana sente-se no compromisso de atender não só a assistência espiritual, mas também o cuidado social, através da Pella Bethânia, e do ensino, com o colégio Dohms. Nas três áreas maiores que a igreja entende ser importante, ela está presente. Nem em cidades de origem alemã e que são luteranas, há esta estrutura de instituições que temos aqui”, destaca o pastor Danilo. 
Embora as igrejas católica e luterana realizem eventos ecumênicos, há pontos em que se distinguem. Na católica, apenas os homens podem ser ordenados líderes, há intermediação dos santos e há o celibato, enquanto que,  na luterana, as mulheres podem ser pastoras, apenas Jesus Cristo é o intermediário a Deus e os pastores podem casar. 
 
Programação em Taquari 
 
Para marcar a data dos 500 anos, no sábado, no pátio do Centro de Ensino Médio Pastor Dohms, em Taquari, a comunidade escolar reuniu-se para formar um coral e entoar as canções “Amigos para Sempre” e “Estou Alegre”. No chão foi formado, por  pessoas,  o número 500, marca do selo postal comemorativo. Na próxima segunda-feira, 16, a liderança da igreja luterana local utilizará a Tribuna Livre, na Câmara de Vereadores; no dia 21 de outubro, haverá culto em ação de graças pela reforma e pelos 83 anos do templo da comunidade local, às 19horas. Após será servida galinhada e os cartões estão à venda com membros da igreja; no dia 28, às 10horas, uma cerimônia marcará a identificação da rua Martim Lutero, entre os bairros Prado e Leo Alvim Faller, no  dia 31, às 19h30min, na igreja católica Santo Antônio, acontecerá uma celebração ecumênica. “As duas igrejas estão envolvidas no movimento da reforma. Hoje, aqui em Taquari só tem estas duas chamadas igrejas históricas, que conseguem dialogar e celebrar em conjunto. Ao invés de pensar no que separava estas igrejas e gerava conflitos, se quer assumir as culpas destas questões e celebrar o que as une, com base no Evangelho. É um momento de reflexão sobre aquilo que nos aproxima e pedir perdão a Deus pelos erros que as igrejas fizeram no decorrer dos séculos, de não aceitar uma a outra. Famílias foram desunidas pela questão da religião”, destaca o pastor da Igreja Luterana, Danilo Carlos Doss.
 
 

VÍDEO

No dia 16 de maio, um bugio que estava no Bairro Praia teve um choque ao deitar-se sobre os fios de energia elétrica. Ele caiu dos cabos da rede e foi socorrido por pessoas que estavam nas proximidades, entre elas, o agricultor Seloí Lang, conhecido por Nego do Rincão, que fez massagem e assoprou sua boca.

mais vídeos

 
CLIMA
 
EDIÇÕES
Contato
(51) 3653.3795
(51) 3653.4719
(51) 9861.6358

Copyright © Jornal O Fato Novo 2013. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por