Taquari, 14 de Dezembro de 2017
NOTÍCIAS
29/09/2017
Sem vantagem

O Taquariense não conseguiu vencer o Ecas na partida de ida da segunda fase do Regional Certel/Sicredi da categoria Titulares, no último domingo, no estádio Marques da Cunha. Mesmo sendo superior, principalmente na etapa final, o alvi-azul ficou no empate em 1 a 1 e vai em desvantagem para o duelo de volta, neste domingo, em Imigrante, quando precisará vencer no tempo normal para seguir na briga pelo título.
Diante do Ecas, clube que fez a quinta melhor campanha entre os 20 classificados da segunda fase do Regional, o Taquariense teve uma postura mais conservadora, com três volantes, Anderson Brandão, Heitor e João Pedro. Com isso, o Taquariense neutralizou qualquer tipo de ação do Ecas no meio-campo, mas também não criou muito nos primeiros 45 minutos. E num jogo de muita marcação e faltas em demasia, dos dois lados, a bola pouco rolou. A arbitragem contribuiu para isto também, parando a partida a todo instante e por qualquer esbarrão.
O Ecas se mostrou um time forte e alto, mas também que a bola aérea é uma de suas poucas qualidades. Qualquer esboço de ataque era através da velocidade do atacante Nenê, que infernizou a defesa do Taquariense, que, ainda na etapa inicial, ficou com três jogadores pendurados com o amarelo.
Nervoso e na pilha do Ecas, que reclamava a toda e qualquer marcação da arbitragem, o Taquariense demorou para colocar os nervos no lugar. Somente a partir dos 25 minutos o alvi-azul começou a tocar mais a bola e a tentar jogadas pelos lados. Então, aos 31 minutos, o alvi-azul abriu o placar. Bruno Souza fez boa jogada pela ponta direita, tocou em Bruno Costa, que passou pela marcação, levou para o meio e, de perna esquerda, chutou forte, no canto do goleiro Fausto, golaço, 1 a 0 Taquariense.
Logo em seguida, o Ecas assustou. Aos 34, Paim cobrou falta para a área, PC centrou para o meio da área e o zagueiro Allan disputou com Heitor, mas Duda fez a defesa. Era o prenúncio do que viria a seguir. Aos 35, em uma falta inexistente perto do meio-campo, Edenílson alçou para a área, Allan fez a carga em Duda, que não conseguiu subir, e cabeceou para o gol, 1 a 1. No mesmo lance, o também zagueiro Maurício empurrou o volante João Pedro, tirando-o da jogada. O Taquariense reclamou bastante do lance, querendo falta, pelo menos, no goleiro Duda, principalmente após ver que o auxiliar não correu para o meio-campo, atitude que se deve tomar quando se valida o lance. Mesmo assim, com muita reclamação, o gol de empate do Ecas foi validado.
 
Taquariense foi superior na etapa final, mas o gol da vitória não veio
 
Temendo uma expulsão, no intervalo o técnico do Taquariense, Adriano Rosa, o Negão, tirou o zagueiro Jessé, que tinha amarelo, e colocou Allan. Além disso, o Taquariense corrigiu a marcação sobre o atacante Nenê, que pouco incomodou, e soltou mais os volantes para o jogo. E isso melhorou o Taquariense, que teve mais aproximação, além de estar mais focado na partida.
Aos cinco minutos, após chutão, a defesa do Ecas parou e Bruno Costa e Inácio ficaram cara a cara com o gol, mas Fausto saiu bem e salvou o Ecas. 
Aos 11, Bruno Souza fez bom passe, Bruno Costa levou para a esquerda e, mesmo marcado, chutou cruzado, forte, rasteiro, muito perto do gol.
Aos 13, Pixena cobrou falta da ponta esquerda, no bico da área, por baixo da barreira, mas Fausto, bem colocado, fez a defesa.
O Ecas só chegou com perigo aos 19 minutos. Lunardo perdeu no meio-campo, Nenê foi no fundo, cruzou, a bola atravessou a área e ninguém empurrou para as redes. O Taquariense respondeu em seguida, aos 22, quando Bruno Costa fez jogada individual, levou vantagem sobre a marcação e chutou forte, alto, mas Fausto colocou para escanteio.
Aos 26, o Taquariense teve a sua melhor chance na etapa final. Depois de alguns minutos rondando a área do Ecas, Lunardo recebeu na esquerda, cruzou no segundo pau, Testa se atirou e cabeceou firme, embaixo, mas Fausto fez um milagre, defendeu rente à trave e colocou para escanteio.
Aos 28, o Ecas assustou mais uma vez. Depois de escanteio, Duda saiu errado, mas Maurício não aproveitou e colocou por cima do gol. Num momento de desacerto do Taquariense, o Ecas teve a sua melhor oporunidade do segundo tempo. Aos 31, num veloz contra-ataque, Oscar Augusto partiu em velocidade, foi no fundo e cruzou para trás. O atacante PC ficou com a sobra e chutou forte, mas Duda, numa saída arrojada, salvou o Taquariense da virada.
Após, o alvi-azul retomou o controle do jogo e tentou algumas investidas. Numa delas, aos 41, Bruno Costa, um dos destaques do Taquariense, recebeu pelo meio e chutou forte, mas para fora, perto do gol.
Com o empate, o Taquariense não tirou a vantagem do empate do Ecas que, neste domingo, às 16h, em Imigrante, joga pela igualdade para seguir na luta pelo título. Ao Taquariense, resta a vitória por qualquer placar para ficar com a classificação. Até mesmo uma classificação como um dos seis eliminados de melhor campanha ficou inviável, já que o Juventude, de Brochier, em casa, derrotou o Palanque, de Venâncio Aires, por 2 a 1 e, com isso, passou o Taquariense no ranking geral. Como o Taquariense tem uma vitória a menos, mesmo se empatar no domingo e  também chegar aos nove pontos, e o time de Brochier perder, o alvi-azul não consegue mais ultrapassá-lo. Portanto, se o Taquariense não vencer, está fora do Regional 2017.
Para a partida de volta, o técnico Adriano Rosa, o Negão, deve ter todo o elenco à disposição, já que não tem jogadores suspenspos e nem lesionados. A tendência é da manutenção do time que iniciou o jogo de ida no último domingo. A provável escalação é Duda; Lunardo, Pixena, Jessé e Prisco; Anderson Brandão, João Pedro, Heitor e Bruno Souza; Bruno Costa e Inácio.
Nos demais duelos da segunda fase, o Imigrante, em Estrela, empatou em 2 a 2 com o União Carneiros, de Lajeado, que perdeu os 100% de aproveitamento, mas ainda joga pelo empate na volta. O 7 de Setembro, em Capitão, manteve a vantagem ao vencer o Saidera, de Teutônia, por 2 a 1. O Flor de Maio, em Venâncio Aires, empatou em 1 a 1 com o Juventude, de Westfália, atual campeão. Mesmo decidindo fora, o Flor de Maio mantém a vantagem de jogar pelo empate. Em Poço das Antas, o 11 Amigos ficou no 1 a 1 com o Assespe, de Venâncio Aires, que permanece com a vantagem do empate na volta. O Rui Barbosa, em Arroio do Meio, venceu por 3 a 1 o Gaúcho, de Teutônia, e, agora, na volta, tem a vantagem da igualdade. O Rudibar, em Bom Retiro do Sul, ficou no 1 a 1 com o Estudiantes, de Lajeado, que, na volta, em casa, terá que vencer. O Brasil, em Marques de Souza, fez 1 a 0 no Cruzeiro, de Vespasiano Correa, e também tirou a vantagem do empate do adversário. E o Aimoré, em Estrela, ficou no 2 a 2 com o 7 de Setembro, de Arroio do Meio, que precisa de um novo empate na volta para seguir no certame.

VÍDEO

No dia 16 de maio, um bugio que estava no Bairro Praia teve um choque ao deitar-se sobre os fios de energia elétrica. Ele caiu dos cabos da rede e foi socorrido por pessoas que estavam nas proximidades, entre elas, o agricultor Seloí Lang, conhecido por Nego do Rincão, que fez massagem e assoprou sua boca.

mais vídeos

 
CLIMA
 
EDIÇÕES
Contato
(51) 3653.3795
(51) 3653.4719
(51) 9861.6358

Copyright © Jornal O Fato Novo 2013. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por