Taquari, 21 de Outubro de 2017
NOTÍCIAS
15/09/2017
Taquari terá representante no concurso Mister Diversidade RS

O jovem Arlei Pereira, de 23 anos, representará Taquari no concurso Miss & Mister Diversidade do Rio Grande do Sul. O evento, que acontecerá neste sábado (16) em Cruz Alta, tem como objetivo celebrar a diversidade através de um momento de integração e intercâmbio, promovendo o respeito e fim do preconceito. 
Arlei trabalha como cabeleireiro e maquiador na cidade de Pelotas. Ele foi convidado para participar do concurso e decidiu representar a sua cidade natal. 
Em entrevista a O Fato Novo, o jovem falou sobre a decisão de representar Taquari, sobre sua trajetória e o concurso. Confira a entrevista.
 
O Fato Novo - Há quanto tempo você vive em Pelotas?
Arlei Pereira - Saí de Taquari há cinco anos, quando a minha mãe se mudou. Aí eu recebi uma proposta de trabalho e estou vivendo há três anos em Pelotas. 
 
OFN - Como você ficou sabendo do concurso?
AP - Já é a segunda vez que eu participo do concurso para quebrar as barreiras e mostrar que não existe uma beleza padrão. Acredito que todo mundo tem chances de participar de um concurso.
 
OFN - E isso te motivou a participar?
AP - Sim. Hoje a sociedade impõe um padrão de beleza do qual é muito hipócrita, onde diz que só existe um padrão, mas poucos estão neste padrão. Porque todo mundo tem chance de ter a sua beleza, de mostrar quem é sem seguir o padrão que a sociedade impõe.
 
OFN - Quais são os requisitos para se tornar Mister Diversidade?
AP - A avaliação trata de beleza, desenvoltura, entrevista e traje de gala. 
 
OFN - E por que você decidiu representar Taquari no concurso?
AP - Eu tenho ainda toda a minha família materna e os meus amigos de infância com que eu me criei. Eu visito, eu gosto e eu me sinto bem de estar aí em meus momentos de lazer. E eu optei por Taquari por eu gostar tanto.
 
OFN - Quais os planos para o futuro?
AP - Quero continuar representando Taquari porque, além de mostrar as beleza do município e levar o nome da cidade que me acolheu, eu gosto muito. 
 
OFN - O concurso também aborda a questão da homofobia e da luta por direitos. Para você, como o preconceito se manifesta? 
AP - O preconceito contra a homossexualidade está desde o momento em que você diz ‘eu respeito a orientação da pessoa, mas não gostaria de ter ela dentro de casa’. Quando você faz isso, está fazendo um pré-conceito. E o preconceito ainda existe por conta disso, por conta das pessoas dizerem que aceitam, que não tem problema, mas que não gostariam de ter em suas casas. 
E a homossexualidade é algo normal, uma coisa que a gente não escolhe. Porque ninguém gostaria de nascer sabendo que vai sofrer preconceito por nascer do jeito que nasceu. 
 
OFN - As pessoas podem votar em você para o concurso. De que maneiras elas podem fazer isso?
AP - As pessoas podem votar até a noite do concurso pela página do Facebook: Miss & Mister Diversidade RS e 12 ª Festa da Diversidade do RS. Gostaria de convidar todos os taquarienses a votarem em mim para quebrar as barreiras e mostrar a cultura da nossa cidade.
 

 

VÍDEO

No dia 16 de maio, um bugio que estava no Bairro Praia teve um choque ao deitar-se sobre os fios de energia elétrica. Ele caiu dos cabos da rede e foi socorrido por pessoas que estavam nas proximidades, entre elas, o agricultor Seloí Lang, conhecido por Nego do Rincão, que fez massagem e assoprou sua boca.

mais vídeos

 
CLIMA
 
EDIÇÕES
Contato
(51) 3653.3795
(51) 3653.4719
(51) 9861.6358

Copyright © Jornal O Fato Novo 2013. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por