Taquari, 12 de Dezembro de 2017
NOTÍCIAS
11/08/2017
Ainda não há previsão para retomada em obra de creche

A moradora do Bairro Prado, Diana Borba dos Santos, 28 anos, aguarda uma vaga em creche para sua filha de dois anos. Segundo ela, no momento em que se inscreveu na secretaria da Educação, havia 90 crianças na frente de sua menina. “Não tenho quem cuide da minha filha para eu trabalhar ou ir atrás de emprego. Também trabalho como manicure, mas também me impossibilita pois não tenho como estar correndo de um lado para o outro com ela junto”, diz. Diana conta que recentemente foi chamada para trabalhar em uma empresa de outro município, mas não pôde aceitar porque não tinha onde deixar a filha.
A creche no Parque do Meio teria capacidade para atender a 122 crianças em turno integral e poderia resolver boa parte dos problemas decorrentes da falta de vagas em educação infantil no município. No entanto, a obra está totalmente parada desde outubro de 2016.
O material colocado na construção está se deteriorando, e o mato cresce ao redor das estruturas. Também há materiais de construção, que ainda nem foram utilizados, espalhados pelo pátio da creche, sem proteção, sendo danificados pelo tempo e alvo de furtos.
A empresa responsável pela obra, desde o primeiro ano em que começou a construção, realizou diversas paralisações, alegando problemas financeiros. A Prefeitura ingressou com processo judicial visando à retomada da obra e multa diária por atraso. A multa já atingiu o valor máximo estipulado pela ação: R$ 790.613,29, o mesmo valor em que está licitada a construção da creche. “O processo encontra-se em plena tramitação e está na fase de produção de provas. A ação aguarda o julgamento dos embargos à execução, para que os valores da multa sejam atualizados, sendo que a base do cálculo para atualização será discutida no processo”, informa a prefeitura.
A administração municipal diz que tudo que poderia fazer em relação à retomada da obra já foi feito. “O município de Taquari foi o primeiro no estado a entrar na justiça exigindo o cumprimento contratual. Portanto, infelizmente, é necessário aguardar o desenrolar do processo judicial”, informa o prefeito Maneco.
De acordo com o prefeito, não é possível realizar nova licitação para concluir a obra, por se tratar de uma tecnologia inovadora, com a qual somente a MVC operava. “Também não é possível a conclusão do modo convencional, uma vez que a estrutura de base não comportaria este tipo de obra”, explicou o Prefeito.
Recentemente, a MVC Soluções em Plásticos, com sede no Paraná, foi adquirida pelo Grupo Gatron, que solicitou recuperação judicial em junho de 2017. Conforme comunicado oficial da empresa, emitido no final do mês de julho, o plano de recuperação judicial será apresentado nos próximos meses. “O Grupo Gatron informa aos seus credores que apresentará nos autos seu plano de recuperação judicial, no intuito de propor a forma de pagamento de todos os seus débitos. O plano do Grupo é realinhar sua atual situação, de forma a viabilizar a regular continuidade  de seus negócios e a satisfação dos interesses comuns das partes envolvidas. Por fim, ressaltamos que a empresa honrará com todos negócios pactuados, solicitando a compreensão de todos para superar esse breve momento de dificuldade pelo qual atravessa”, informou, em nota oficial, a diretoria do Grupo Gatron.
Para o prefeito Maneco, este plano de recuperação judicial pode ser benéfico ao município. “Esperamos que ajude e que a empresa honre o contrato firmado com a Administração Municipal de Taquari através da licitação vencida junto ao Governo Federal”, falou Maneco.
 

VÍDEO

No dia 16 de maio, um bugio que estava no Bairro Praia teve um choque ao deitar-se sobre os fios de energia elétrica. Ele caiu dos cabos da rede e foi socorrido por pessoas que estavam nas proximidades, entre elas, o agricultor Seloí Lang, conhecido por Nego do Rincão, que fez massagem e assoprou sua boca.

mais vídeos

 
CLIMA
 
EDIÇÕES
Contato
(51) 3653.3795
(51) 3653.4719
(51) 9861.6358

Copyright © Jornal O Fato Novo 2013. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por