Taquari, 21 de Outubro de 2017
NOTÍCIAS
11/08/2017
Desagravo a Caetano

“Berro por seu berro, pelo seu erro” (Caetano Veloso, “Qualquer coisa”)
 
Aconteceu na capital mas repercutiu em todo o estado, em artigo publicado em Zero Hora. O Secretário de Cultura agitou Porto Alegre com uma “produção cultural” que causou espanto, uma espécie de “Ode ao Chefe”, o Prefeito, comparando-o a Caetano Veloso. O secretário diz que Caetano e Marchezan têm, em comum, “pagar o preço por ser quem é” e serem “visionários, altivos e polêmicos”. A comparação teve intensa repercussão nas redes sociais, nas quais só se reconhecia a terceira das pretensas “virtudes” do prefeito.
O uso político de Caetano Veloso para defender pessoas com as quais ele não se identifica não é um uso ético, em primeiro lugar. Caetano tem suas próprias posições políticas e não se insere na polarização tucanos x petistas, nas quais Marchezan está envolvido até o pescoço, disparando críticas nas redes sociais aos petistas aos quais dá mais atenção, aparentemente, do que aos buracos da cidade. Caetano, ao contrário, é crítico de ambos, tanto do lulismo quanto de Temer e dos seus aliados tucanos.
Caetano mereceria um tratamento mais respeitoso, por sua contribuição à cultura brasileira desde a época da Ditadura Militar, à qual nunca se curvou. Os leitores que ficaram chocados com a comparação a Marchezan não se restringem aos petistas, mas sim a todos que admiram a criatividade, lucidez, genialidade musical, coragem e perspicácia na leitura das pessoas e do país, com que Caetano vem há décadas nos brindando.
O baiano está num patamar em que os críticos o respeitam por sua obra e história de vida. Um reconhecimento que o Prefeito não tem, ainda mais depois de seus últimos atos, descumprindo claramente promessas eleitorais. Circula nas redes sociais um vídeo mostrado na campanha onde Marchezan garantia manter a segunda passagem gratuita de ônibus, palavra descumprida, onerando inclusive as empresas que arcam com vale-transporte. O desagravo a Caetano se faz necessário por seu uso indevido para exaltar um Prefeito que ainda não disse a que veio. Em caetanês, “esse papo já tá qualquer coisa, você já tá pra lá de Marrakesch”.
 
Montserrat Martins
 

VÍDEO

No dia 16 de maio, um bugio que estava no Bairro Praia teve um choque ao deitar-se sobre os fios de energia elétrica. Ele caiu dos cabos da rede e foi socorrido por pessoas que estavam nas proximidades, entre elas, o agricultor Seloí Lang, conhecido por Nego do Rincão, que fez massagem e assoprou sua boca.

mais vídeos

 
CLIMA
 
EDIÇÕES
Contato
(51) 3653.3795
(51) 3653.4719
(51) 9861.6358

Copyright © Jornal O Fato Novo 2013. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por