Taquari, 21 de Outubro de 2017
NOTÍCIAS
04/08/2017
MISTURA FINA: Possível candidato ao governo do Estado esteve em Taquari

O ex-prefeito de Canoas, Jairo Jorge (PDT), palestrou no Theatro São João, na manhã da última quarta-feira, sobre os desafios da gestão pública.
Antigo militante petista, Jairo Jorge trocou de partido no final do ano passado e é nome importante no cenário político gaúcho. Ainda não está oficializada a pré-candidatura do PDT ao Governo do Estado, o que deve ser feito até setembro deste ano, mas tudo indica que o ex-prefeito de Canoas seja o nome do partido.
Durante a visita a Taquari, ele concedeu entrevista ao Mistura Fina. Confira alguns trechos da conversa.
 
Mistura Fina – Qual o motivo de sua visita?
Jairo Jorge – Tenho visitado muitos municípios gaúchos. Desde o início do ano, foram 206 cidades que visitei, para troca de experiências e para conhecer as demandas e dificuldades dos municípios. Vou falar um pouco sobre inovação na gestão pública, quais são os desafios hoje que a gestão pública enfrenta. Nós estamos vivendo uma crise política, é necessário compreender o que está acontecendo. Isto afeta o país de uma forma geral e afeta as administrações. Vamos partilhar um pouco das ideias e das soluções que nós construímos durante oito anos em minha gestão de prefeito em Canoas e do trabalho que fizemos à frente da Famurs, (Federação das Associações dos Município do Rio Grande do Sul), que eu tive a oportunidade de coordenar durante dois anos, pensando o Rio Grande do Sul para 2030. São 40 estratégias que devem ser feitas agora e nos próximos anos, para que a gente possa chegar em 2030 numa situação melhor do que a que vivemos hoje. Envolve decisões financeiras, reestruturação do estado e medidas efetivas que possam levar o Rio Grande do Sul a um círculo virtuoso de crescimento. É preciso ter celeridade, desburocratização, com responsabilidade.
 
Mistura Fina – Em meio a esta crise política e principalmente financeira no estado, por que você lança seu nome à disposição para o cargo de governador?
Jairo Jorge – Porque eu acho que é possível sair desta crise, eu vejo caminhos e alternativas, mas o momento é agora. Eu tenho experiência, eu não administrei uma cidade na bonança, Canoas não é Caxias. Eu não peguei uma cidade com recursos, eu peguei uma cidade que tinha R$ 25 mil em caixa, num orçamento de R$ 450 milhões. Eu nunca lamentei, eu nunca me lamuriei, eu nunca ataquei meu antecessor. Eu fui eleito para resolver os problemas e consegui. Nunca atrasei o salário dos funcionários. Consegui desburocratizar a abertura de empresas e, na minha gestão, foram mais de 19 mil empresas, entre pequenos e grandes estabelecimentos, que se instalaram em Canoas. O retorno de ICMS de Canoas passou de 3,9 em 2009 para 6,8 neste ano, e 7,09 para o próximo ano, que ainda é em cima dos dois últimos anos da minha gestão. O orçamento de Canoas era de R$ 450 milhões, hoje é de R$ 1,4 bilhão, eu tripliquei o orçamento da minha cidade. Eu tenho experiência, eu estou preparado, tenho viajado muito para conhecer ainda mais os problemas do Rio Grande. O PDT hoje tem uma força política e nós acreditamos que podemos ser uma força que leve o Rio Grande do Sul ao crescimento. Nos últimos 23 anos, o PMDB governou o estado quatro vezes; o PT já governou também, teve sua chance com Olívio e Tarso; o PSDB governou com a Yeda; quem não teve oportunidade efetivamente foi o PDT. É isso que nós queremos, pedir uma oportunidade para a população em 2018 para governar o Rio Grande do Sul.
 
Mistura Fina – Vocês já têm alianças políticas para apoiar a candidatura do PDT ao Governo do Estado?
Jairo Jorge – Estamos começando. Enquanto não formalizarmos o candidato, fica difícil formalizar as alianças. Nós queremos ter um bloco político que envolva o PSB, o PR, PRB, PC do B, PPS, Solidariedade, REDE, PV são partidos que gostaríamos de estar governando juntos. O PT provavelmente tenha um candidato próprio, é um partido forte, um partido grande, é legítimo que tenha seu candidato, mas não acredito em polarização entre nós. Provavelmente vamos polarizar com o Governador Sartori, que é candidato à reeleição. Mas existe o segundo turno para isso, creio que estaremos juntos.
Mistura Fina – Por que você deixou o PT e migrou para o PDT?
Jairo Jorge – Eu acho que as minhas ideias não cabiam mais no PT. O PT tem vivido o seu caminho a sua história, eu não tinha mais espaço dentro do PT. Foi um divórcio amigável. Eu tenho as minhas ideias e as ideias que eu tenho sempre tiveram muita afinidade com o PDT. Eu continuo com as mesmas ideias que eu tenho desde jovem, mas eu acho que o PDT hoje tem muito mais afinidade com as ideias que eu defendo. Desejo sucesso ao PT, porque eu militei durante 32 anos, desejo que se recuperem desse momento, mas eu tive uma grande acolhida no PDT, me sinto em casa, tenho muito orgulho de fazer parte do PDT, é um partido que tem uma história muito bonita. Sempre fui um grande admirador do Brizola, mesmo estando em outro partido político. É uma proximidade efetivamente que eu tenho. Respeito muito o período que eu estive no PT, desejo que o partido se recupere e possa enfrentar os seus problemas. Eu não saí criticando em momento algum, atirando pedras no PT, é um dever nosso olhar para frente.
 
Inscrições para processo seletivo da Prefeitura iniciam na segunda-feira
 
A Prefeitura abriu inscrições para mais um processo seletivo simplificado para contratação de funcionários. São ofertadas quatro vagas para operador de máquina rodoviária; quatro vagas para professor de educação física; e quatro vagas para servente.
As inscrições custam R$ 30 e podem ser feitas entre a próxima segunda-feira, 7 de agosto, e a quarta-feira, dia 9, até às 16h.
 
 

VÍDEO

No dia 16 de maio, um bugio que estava no Bairro Praia teve um choque ao deitar-se sobre os fios de energia elétrica. Ele caiu dos cabos da rede e foi socorrido por pessoas que estavam nas proximidades, entre elas, o agricultor Seloí Lang, conhecido por Nego do Rincão, que fez massagem e assoprou sua boca.

mais vídeos

 
CLIMA
 
EDIÇÕES
Contato
(51) 3653.3795
(51) 3653.4719
(51) 9861.6358

Copyright © Jornal O Fato Novo 2013. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por