Taquari, 25 de Junho de 2017
NOTÍCIAS
07/04/2017
Homem é preso acusado de cometer estupro de vulnerável

Um homem foi preso pela Polícia Civil na manhã de terça-feira (4) acusado de ter cometido o estupro de vulnerável no início deste ano. A polícia informou que o sujeito, identificado como H.P., 36 anos, era tio do padrasto da vítima, uma criança de quatro anos.
Conforme a Delegada de Polícia, Betina Martins Caumo, o caso de estupro foi registrado após a vítima relatar para a mãe que o acusado passava as mãos em suas partes íntimas e pedia que ela o tocasse. Diante disso, a menina passou por uma avaliação psicológica, quando deu detalhes sobre o abuso. A vítima também afirmou que o acusado pediu que ela não contasse a ninguém o que estava acontecendo.
 “Neste tipo de caso, é importante ressaltar a importância da palavra da vítima. Pais e familiares devem acreditar quando escutam um relato desses de uma criança que não teria como falar de sexualidade, se não tivesse sido submetido a uma situação”, afirma a Delegada.
Ainda segundo a Delegada, o acusado, ao ser questionado pela polícia, inicialmente negou o abuso. “Depois de negar, ele disse que a menina até colocou a mão no órgão dele, mas porque ela quis. Ou seja, ele nega que tenha havido o abuso, mas confirma que a menina teve esse contato. Já a vítima, em entrevistas psicológicas, relata que mais de uma vez ele havia pedido que ela tocasse nele”, explica.
Depois de concluir o inquérito, houve o indiciamento e a representação de prisão preventiva do acusado. Ele compareceu à Delegacia de Polícia na terça-feira de manhã e foi detido. Em seguida, foi encaminhado para a Penitenciária Estadual do Jacuí.
 
49 casos registrados em cinco anos
 
Conforme divulgado pelo jornal O Fato Novo, de janeiro de 2012 até dezembro de 2016, foram registrados 49 casos de estupro de vulnerável em Taquari. 
Somente em janeiro deste ano, três casos foram registrados, mais da metade do que foi registrado no primeiro semestre de 2016. O número é maior do que o total acumulado no mesmo período em cinco anos.
Na reportagem, a Delegada de Polícia de Taquari afirmou que o número de registros de estupro de vulnerável é maior do que os casos envolvendo maiores de 18 anos. “São raríssimos, ao menos os registrados”, afirma. A realidade de Taquari não difere do resto do país. Um levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), que utilizou dados de 2011 do Sistema de Informações de Agravo de Notificação do Ministério da Saúde (Sinan), mostra que 70% das vítimas de estupro no Brasil são crianças e adolescentes.
Entretanto, o número indicado pelo levantamento conta apenas com os casos notificados às autoridades, e pode estar longe da realidade. “Infelizmente este tipo de delito tem muita subnotificação”, disse a Delegada. “É muito complicado para as vítimas revelarem isso. E, mesmo quando a vítima acaba revelando para família, às vezes há uma certa resistência em registrar e levar os casos adiante.”
Por isso, a apuração é feita basicamente com base na palavra da vítima e na avaliação psicológica, de modo que o depoimento da criança é tratado com relevância. “A palavra da criança, neste tipo de crime, assim como nos de violência doméstica, quando é coerente, é dado um peso muito grande, porque às vezes as vítimas acham que ninguém vai acreditar nela e não registra. Mas no momento em que há um relato coerente, essa palavra tem muita força”, afirmou a Delegada.
 

VÍDEO

No dia 16 de maio, um bugio que estava no Bairro Praia teve um choque ao deitar-se sobre os fios de energia elétrica. Ele caiu dos cabos da rede e foi socorrido por pessoas que estavam nas proximidades, entre elas, o agricultor Seloí Lang, conhecido por Nego do Rincão, que fez massagem e assoprou sua boca.

mais vídeos

 
CLIMA
 
EDIÇÕES
Contato
(51) 3653.3795
(51) 3653.4719
(51) 9861.6358

Copyright © Jornal O Fato Novo 2013. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por