Taquari, 25 de Junho de 2017
NOTÍCIAS
07/04/2017
MISTURA FINA: Tratativas com o call center continuam

A Prefeitura de Taquari e a Zanc Assessoria de Cobrança continuam as tratativas para a instalação do call center no antigo prédio do Idesc, em Taquari. Nesta semana, um dos sócios da empresa, César Zanc, esteve no município, participando da inauguração da filial do Centro Clínico Gaúcho, ocasião em que conversou com o Mistura Fina.
Segundo César Zanc, as tratativas com a Prefeitura de Taquari estão bastante avançadas e, se tudo for aprovado pela comunidade e Câmara de Vereadores, a empresa pretende iniciar a operação até o início de 2018. “Nosso cronograma está traçado para começar. Agora, depende da liberação dos trâmites burocráticos da Prefeitura. A Prefeitura estando ok, nós estamos prontos”, garantiu o empresário.
Na semana passada, o Mistura Fina havia noticiado que o Prefeito Maneco quer que a comunidade decida, em audiência pública, se o município deve investir os cerca de R$ 5 milhões na reforma do prédio para a instalação da empresa, que deve gerar, em média mensal, 600 empregos em Taquari. No entanto, a data desta audiência pública ainda não foi definida, mas deve ocorrer nas próximas semanas. “Temos que acelerar o máximo possível para começar a fazer a obra e seleção de funcionários ao mesmo tempo, para, se Deus quiser, até o final deste ano, início do ano que vem, estar tudo funcionando”, informou o Prefeito.
De acordo com Maneco, o cronograma das próximas ações da negociação com a empresa não pôde ser divulgado nesta semana, em função de uma readequação do projeto da reforma do Idesc. Nos próximos dias, devem estar prontos a readequação e o valor total para a obra. Assim que isto estiver definido, será marcada a audiência pública.
 
Salários dos servidores municipais não tiveram reajuste em 2017
 
A falta de reajuste salarial, que, nos últimos anos, está atingindo funcionários de muitos municípios e do estado, também chegou em Taquari. Há algumas semanas, o Mistura Fina recebeu um e-mail, de uma pessoa que não quis se identificar, reclamando quanto à falta de reajuste salarial dos funcionários públicos municipais. Segundo o reclamante, como em 2017 os salários ainda não foram reajustados, haveria concursados na Prefeitura recebendo menos do que um salário mínimo federal – R$ 937.
Nesta semana, a Prefeitura de Taquari falou sobre o assunto. De acordo com a Administração, os servidores que recebem pelos padrões referenciais 1, 2 e 3, que estão abaixo do mínimo nacional, recebem uma parcela autônoma de complementação. “De forma que os servidores se enquadram no piso mínimo”, alegou a Prefeitura. Segundo a Prefeitura, não haverá reajuste salarial para os servidores públicos em 2017 em função do impacto financeiro nas contas públicas. “Em face da crise econômica e da imprevisibilidade das receitas para os próximos meses, a situação não permite a concessão de reajuste aos servidores municipais. Considerando o eventual percentual de 6,3 % de reajuste, a folha de pagamento do município de Taquari teria um acréscimo de cerca de R$ 1.556.100,00 ao ano”, informou, através da assessoria de imprensa.
Segundo a Administração, atualmente a Prefeitura de Taquari conta com 770 servidores, sendo 540 concursados, 121 aposentados, 90 Contratos Emergenciais e 19 Cargos de Confiança. Abaixo, veja o salário de cada padrão referencial.
 
Corsan considera improcedente a multa aplicada pela Prefeitura
 
Na semana passada, a Prefeitura de Taquari informou que apresentou um auto de infração e imposição de multa de R$ 5 mil à Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) em função de um buraco aberto na Rua Sete de Setembro, em frente a Lojas Colombo. A multa foi baseada em uma lei municipal, de janeiro de 2017, que determina que as concessionárias e empresas que venham a prestar serviço no município são obrigadas a reconstruírem, sem ônus para o município e num prazo de 5 dias úteis, o piso das ruas, passeios e logradouros públicos que vierem a ser danificados em decorrência de instalação ou conserto de rede de água, esgoto, luz, telefone e outros. De acordo com a Administração, a Corsan não quis assinar o recebimento da autuação.
Nesta semana, o Mistura Fina entrou em contato com a chefe da unidade de saneamento em Taquari, Amanda Martins Mafassiolli, para saber sobre os procedimentos adotados pela Corsan em relação ao caso. De acordo com Amanda, a companhia busca, administrativamente, se defender da autuação recebida e considera improcedente a multa aplicada pela Prefeitura. Para a chefe da unidade de saneamento em Taquari, mesmo com base na lei municipal criada em janeiro de 2017, a Prefeitura deveria ter notificado a Corsan, com 30 dias de antecedência, a arrumar o buraco e, somente após esta notificação, poderia aplicar a multa. Em função disto, a companhia não assinou o auto de infração e busca reverter a aplicação da multa.
Ainda de acordo com Amanda Martins Mafassiolli, o buraco em questão foi aberto no dia 26 de fevereiro e a companhia colocou asfalto frio sobre o concerto para não deixá-lo totalmente aberto. Conforme a chefe da unidade de saneamento em Taquari, a Corsan espera juntar um quantitativo mínimo de consertos para trazer uma carga de CBUQ (asfalto quente), para concluir os trabalhos pendentes no município.
 

VÍDEO

No dia 16 de maio, um bugio que estava no Bairro Praia teve um choque ao deitar-se sobre os fios de energia elétrica. Ele caiu dos cabos da rede e foi socorrido por pessoas que estavam nas proximidades, entre elas, o agricultor Seloí Lang, conhecido por Nego do Rincão, que fez massagem e assoprou sua boca.

mais vídeos

 
CLIMA
 
EDIÇÕES
Contato
(51) 3653.3795
(51) 3653.4719
(51) 9861.6358

Copyright © Jornal O Fato Novo 2013. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por