Taquari, 25 de Junho de 2017
NOTÍCIAS
07/04/2017
PubliCIDADE: Assédio não é coisa de televisão

Essa semana o José Mayer e os meninos do Big Brother colocaram em pauta um assunto tão manjado que nem deveria ainda ser discutido: o abuso machista. Infelizmente, em pleno 2017 temos que lembrar às pessoas que certas atitudes não são corretas. E infelizmente isso não ocorre só na televisão.
Só quem já passou por isso sabe descrever o quanto é horrível se sentir humilhada por um homem. (Ser humilhada é horrível, não só por homens). Não acho que mulheres sejam seres intocáveis, que não podem ser elogiadas ou que não possam ser tratadas normalmente.
Mas acredite amigo machista, a mulher não quer ouvir da sua boca que você tem atração sexual por ela, isso é um problema só seu. Se você realmente gosta de uma mulher e gostaria de estar com ela, agrade, conquiste, elogie educadamente.
Nunca comente sobre o corpo dela, se você não for seu marido/namorado. E jamais faça este tipo de comentário se for chefe, professor ou outra atividade que não permita à mulher uma fuga da situação. Pois o pior do assédio é que normalmente a mulher está numa situação de dependência.
A coitada da mulher que foi assediada pelo José Mayer dependia do emprego, e por isso teve que aguentar a situação por oito meses até conseguir falar. É horrível! Se você por vezes está desanimado para ir trabalhar, imagina ir trabalhar sabendo que vai passar o dia tentando fugir de uma pessoa que quer agarrá-la? Lamentável.
A maioria das mulheres nem comenta que foi assediada para não ser julgada. Pois a sociedade machista culpa, que deu liberdade, que se vestiu de tal maneira, ou que foi gentil com o assediante.
É fácil eu fazer este texto e dizer: Mulheres, não aceitem! Mulheres, denunciem! Mas a mulher precisa daquele emprego, a mulher precisa daquele ônibus ou precisa estar na aula. E nenhuma mulher gostaria de ter seu nome na boca do povo e ser alvo de julgamentos.
Ela não está errada. E ela não tem culpa dos homens mal educados e tarados que circulam por aí. Se você tem filho homem, assim como eu, não forme um homem que você não gostaria de ter. Não incentive a baixaria a fim de garantir que ele seja “macho”. Ensine seu filho a tratar mulheres como você gosta de ser tratada!
 
Daphne Becker

VÍDEO

No dia 16 de maio, um bugio que estava no Bairro Praia teve um choque ao deitar-se sobre os fios de energia elétrica. Ele caiu dos cabos da rede e foi socorrido por pessoas que estavam nas proximidades, entre elas, o agricultor Seloí Lang, conhecido por Nego do Rincão, que fez massagem e assoprou sua boca.

mais vídeos

 
CLIMA
 
EDIÇÕES
Contato
(51) 3653.3795
(51) 3653.4719
(51) 9861.6358

Copyright © Jornal O Fato Novo 2013. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por